...

Possível novo antimicrobiano de amplo espectro que evita a geração de resistência e tem duplo mecanismo de ação

A resistência aos antimicrobianos é um problema antigo que vem se agravando ao longo dos anos. O aumento da frequência de isolamento de bactérias multirresistentes, acompanhado da lentidão no desenvolvimento de novos antimicrobianos, aumenta a gravidade deste problema. A necessidade de novos fármacos é urgente, mas este processo é longo e árduo. Dessa forma, uma crise de saúde global está em andamento.

SHC 79797 é um novo composto com potencial antimicrobiano, descrito em 2018, cujo mecanismo de ação ainda era desconhecido. Em junho de 2020, um artigo na revista Cell descreveu achados surpreendentes sobre este composto, que apresenta um novo mecanismo com ação em dois alvos.

A combinação e adaptação de diversas técnicas permitiu revelar a inibição sobre uma enzima importante na biossíntese do ácido fólico, de forma semelhante ao antimicrobiano trimetoprim. Apesar dessa semelhança, SHC 79797 também compromete a integridade da membrana, que o torna um composto com duplo mecanismo de ação. Os autores demonstraram ainda que o desenvolvimento de resistência a este composto ocorre em baixa frequência. Estes achados foram observados tanto em bactérias Gram negativas quanto em Gram positivas.

Uma questão importante no desenvolvimento de novos antimicrobianos é a toxicidade. Um antimicrobiano ideal deve inibir o crescimento bacteriano sem comprometer, ou mostrar uma toxicidade relativamente baixa, às células do hospedeiro durante seu uso. SCH 79797 apresentou toxicidade elevada para células de mamíferos; porém, os autores desenvolveram derivados deste composto mais eficazes, entre eles, a irresistina-16. Este derivado apresenta um potencial antimicrobiano mais elevado que permite aplicação em doses menores e acarreta menor toxicidade às células do hospedeiro.

Ainda é cedo para dizer se este composto se tornará um fármaco disponível no mercado, mas as evidências apontadas no estudo são promissoras. Vale apontar também que a combinação de metodologias utilizadas neste estudo para descrever os mecanismos de ação do SHC 79797 pode servir de protocolo para futuras pesquisas semelhantes. O desenvolvimento e adaptação de novas metodologias também é parte fundamental da corrida por novos antimicrobianos.

Para saber mais sobre o estudo acesse o link do artigo aqui.