...

Pool de amostras para aumentar a capacidade de testagem de SARS-CoV-2

A pandemia do novo coronavírus (COVID-19) aumentou significativamente a demanda dos sistemas de saúde. Uma das estratégias de combate à pandemia é a identificação rápida de indivíduos portadores do vírus da síndrome respiratória aguda (SARS-CoV-2) por meio de testes laboratoriais.

O principal exame laboratorial para o diagnóstico do novo coronavirus é o procedimento de detecção do material genético do vírus (teste de RT-qPCR). No entanto, o teste de RT-qPCR apresenta alto custo e não permite avaliar um grande número de amostras clínicas de forma rápida. Além disso, devido ao impacto mundial do SARS-CoV-2 e às amplas políticas de testagem em diversos países, o fornecimento de insumos necessários para a realização da técnica de RT-qPCR ficaram escassos.

Os pesquisadores do Laboratório de Pesquisa em Resistência Bacteriana (LABRESIS) buscaram alternativas para aumentar o número de amostras testadas ao mesmo tempo, além de reduzir os custos do aumento do número de testes. Para permitir a testagem em massa, os pesquisadores desenvolveram e avaliaram uma técnica que agrupa diversas amostras (Pool) em um mesmo teste de RT-qPCR para a detecção de SARS-CoV-2. A técnica que utiliza pool de amostras permite que as amostras de diferentes indivíduos sejam testadas em conjunto, o que reduz significativamente o tempo, os insumos e o custo por exame.

Os resultados do estudo realizado no LABRESIS indicaram que realizar o teste de RT-qPCR em pools de até 10 amostras clínicas é extremamente efetivo. Vale reassaltar que este método é efetivo como um importante método de triagem populacional em cenários onde há baixa prevalência de SARS-CoV-2, ou seja, quando a prevalência do vírus ainda é muito baixa na população avaliada.

O Artigo pode ser lido na íntegra aqui.

(https://doi.org/10.1007/s10096-020-04071-8)

 

Autoria: Ms. Fabiana Volpato

Revisão: Prof. Dr. Afonso Luís Barth