...

Aumento da frequência da carbapenemase NDM-1 em um hospital terciário no sul do Brasil

O aumento constante da prevalência da carbapenemase NDM-1, de menos de 1% em 2013 para 24% em 2020, entre Enterobacterales com suscetibilidade reduzida aos carbapenêmicos em um hospital terciário no sul do Brasil destaca a importância da detecção precoce do mecanismo molecular de resistência aos carbapenêmicos para evitar o tratamento empírico de infecção.

Um estudo publicado recentemente pelo Laboratório de Pesquisa em Resistência Bacteriana (LABRESIS) relatou o aumento constante na frequência de NDM-1 entre Enterobacterales resistentes a carbapenêmicos no Hospital de Clínicas de Porto Alegre, Rio Grande do Sul.

Um total de 3.501 isolados de Enterobacterales foi avaliado de Janeiro de 2015 a Maio de 2020 por PCR em tempo real utilizando a técnica de temperatura de melting de alta resolução (HRM). Houve um aumento de 4,2% em 2015 para 24% em 2020, totalizando 351 (10%) isolados NDM-positivos.

As metalo-betalactamases são um risco para a saúde pública porque hidrolizam todas as classes de beta-lactâmicos, exceto aztreonam e não são inibidas pelas novas associações de antibióticos, como ceftazidima-avibactam. Portanto, a predominância de NDM pode afetar o uso de novas alternativas terapêuticas.

Nossos resultados a respeito do aumento da frequência do gene blaNDM-like destaca a importância da detecção precoce do mecanismo molecular que causa a resistência aos carbapenêmicos, para evitar o tratamento empírico dessas infecções.

O Artigo pode ser lido na íntegra aqui.

(DOI: 10.1007/s42770-020-00412-z)

Autoria: Dra. Priscila Lamb Wink

Revisão: Prof. Dr. Afonso Luís Barth